Boas vindas

Sejam bem vindos!

Este blog tem por objetivo prestar auxílio aos interessados em conhecer um pouco a respeito dessa área de estudo tão fascinante que é a Psicopedagogia, compreender como se dá a aprendizagem, bem como, as dificuldades encontradas durante esse processo. Além de sugestões e atividades para a intervenção Psicopedagógica e na sala de Recursos Multifuncionais (AEE).

10 de abr de 2010

Transtornos psicomotores

O objeto de estudo na Psicomotricidade é o corpo e suas manifestações; o conceito de corpo inclui posturas, gestos (olhar, mímica) e as praxias (movimentos voluntários e aprendidos). Trata ainda da construção do corpo nas dimensões motora, cognitiva e afetiva.
As três dimensões formam uma unidade; durante o processo de desenvolvimento caso ocorra qualquer alteração em uma delas, sua recuperação se dará não só por exercícios dirigidos, mas também oferecendo tempo e espaço para que a criança utilize suas capacidades de elaboração e resolução de dificuldades, recuperando o prazer e o poder do movimento por meio de brincadeiras e ações diferenciadas, as quais iremos conferir mais adiante.
Dimensão motora
Sua construção está submetida a maturação neurológica.
- evolução da tonicidade muscular.
- desenvolvimento das possibilidades de equilíbrio.
- desenvolvimento do controle e dissociação dos movimentos.
- desenvolvimento da eficiência motora (velocidade e precisão).
- definição da lateralidade.
As aquisições acima permitem a existência das coordenações dinâmicas gerais e das manuais.

Testes para investigação da lateralidade
  • Olho dominante: oferecer um papel retangular (papel cartão) com um orifício e solicitar que a criança olhe por ele, fechando um dos olhos, na direção de uma figura (pode ser o desenho de uma paisagem). O olho dominante será o que ficou aberto para a visualização da figura.
  • Mão dominante: solicitar que a criança faça um desenho, para observar qual mão utiliza ou fazer uma brincadeira jogando objetos para que ela agarre com uma mão só. A mão dominante será a que ela utilizar para agarrar ou desenhar.
  • Pé dominante: solicitar que chute a bola ou que fique apoiada em um pé só. O pé dominante será o que utilizar para apoiar-se ou para chutar a bola.
Lateralidade
-Destra: olho, pé e mão direita são dominantes.
-Canhota: olho, pé e mão esquerda são dominantes.
-Ambidestra: utilização das duas mãos.
-Lateralidade cruzada: quando a mão esquerda é dominante, ao mesmo tempo em que a perna direita; ou no caso de se ter o uso da mão direita e o olho esquerdo.
As dificuldades de aprendizagem relacionadas à lateralidade não só ocorrem no caso de crianças canhotas que são obrigadas a utilizar a mão direita, como também em crianças que apresentam a lateralidade cruzada. Nestes casos é necessário que a intervenção tenha como objetivo organizar sua Psicomotricidade, utilizando uma série de exercícios visuais, motores e escritos.
Os transtornos de lateralidade afetam também a leitura e a escrita, confundindo a direção das letras(b-d,p-q,m-w-3,n-u,t-f-j) e das palavras (lêem sale em vez de elas).
* As atividades utilizadas para discrimição visual, apresentadas em transtornos perceptivos, podem ser utilizadas neste caso.
Atividade para conhecimento do corpo

1ª parte
Solicitar que as crianças formem duplas e uma fique de frente para a outra. Conforme for dito o nome de uma parte do corpo como, por exemplo, pés, mãos, barriga, orelhas, etc., cada criança deverá apontar para as partes de seu próprio corpo.
2ª parte
Esta atividade será feita da mesma forma, porém quando for dito o nome das partes do corpo, cada criança apontará para a parte do corpo da outra criança, por exemplo, quando for dito barriga, a criança apontará para a barriga de sua parceira.
3ª parte
Esta atividade ficará um pouco mais complexa, pois será também trabalhada a lateralidade. Quando for dito o nome da parte do corpo, por exemplo, pé direito, cada criança deverá apontar para seu pé direito e de sua parceira, desta forma compreenderá a lateralidade de seu ponto de vista e do ponto de vista do outro.

Atividade para coordenação dinâmica

Esta atividade tem por objetivo trabalhar com o equilíbrio, que é a base essencial da coordenação dinâmica geral a qual possui a finalidade de melhorar o comando nervoso, a precisão motora e o controle global dos deslocamentos do corpo no tempo e no espaço.
Os conceitos espaciais: direita, esquerda, atrás, na frente, entre, perto, longe, maior, menor; são vivenciados através de movimentos específicos. A partir daí propomos exercícios com maior intensidade.
Solicitamos á criança o seguinte:
- Andar de cabeça erguida
A criança deverá andar com um objeto (pode ser um livro de capa dura) sobre a cabeça, sem deixá-lo cair.
-Dominada esta etapa a criança para, levanta uma perna formando um ângulo de noventa graus e coloca-se lentamente no chão.
O mesmo trabalho deverá ser feito com a outra perna.
-Que tal se alongar?
A criança deverá esticar maõs e pernas como se fosse pegar algo no alto, até ficar na ponta dos pés e voltar gradativamente a posição inicial; esta atividade será repetida 2 vezes.
 
Atividade para percepção global do corpo

Nesta atividade serão trabalhadas as posições do corpo e diversas possibilidades de deslocamento, com o objetivo de que a criança desenvolva a percepção global de seu corpo, sua unidade e da posição no espaço.
São quatro posições que trabalhadas: em pé, sentada, agachada e deitada.
Primeiramente será explicado à criança que a atividade envolve as quatro posições do corpo e para isso treinarão cada posição separadamente, ficando por algum tempo sentada, em pé, agachada e por último deitada. Após isso o exercício será iniciado.
Pedimos á criança para que comece a caminhar acompanhando as palmas. Quando as palmas pararem a criança deverá parar e colocar-se em diferentes posições de acordo com o que for solicitado.
Por exemplo:
- parada, bem encostada na parede
- sentada no chão, com as costas apoiadas na parede e as pernas esticadas
- parada, tentando crescer o máximo possível (esticando-se)
- sentada com as pernas cruzadas
- deitada, totalmente relaxada
- deitada de lado
- agachando e levantando (brincadeira de morto ou vivo)

Atividade com percurso
No chão são colocados os seguintes objetos (distantes um do outro): bola, garrafa, cubo e um livro, o professor/examinador percorrerá o trajeto de um objeto para o outro e a(s) criança(s) deverão segui-lo.
Após esta etapa, o trajeto será desenhado na lousa e criança(s) deverão segui-lo novamente, sem o auxílio do professor/examinador.
Para finalizar as crianças terão um tempo para percorrer o trajeto.

Dimensão afetiva
O desenvolvimento psicomotor se dá de forma similar na maioria das crianças, porém é marcado em cada um pelo estilo próprio, ou seja, de acordo com as características do meio em que esta criança está inserida e as situações que vivencia.
Utilizamos o termo afetivo não como algo relacionado ao aspecto emocional, mas sim a capacidade de cada ser humano pensar, falar, aprender, sentir e agir a seu modo. Nesta dimensão destaca-se, ATENÇÃO, MEMÓRIA, PENSAMENTO E LINGUAGEM, que falaremos mais adiante.

Dimensão cognitiva
O desenvolvimento cognitivo está relacionado ao domínio das relações espaciais e temporais; estas ocorrem quando a criança consegue discriminar direita e esquerda, nomear seus segmentos corporais, orientar-se corretamente, em cima, em baixo, em frente, atrás,hoje, ontem, de manhã, de noite, etc.

Atividade para compreensão perceptiva motora e temporal

Para esta atividade será solicitado que a(s) criança(s) caminhem como fazem normalmente.
Em seguida as crianças deverão caminhar ao som do pandeiro, diferenciando e seguindo o ritmo das batidas: batida rápida, caminhar rápido - batida lenta, caminhar lento.
Após, será solicitado que prestem atenção e sigam a mais um ritmo de batida (intermediário).
Assim deverão identificar e diferenciar os ritmos, rápido, normal e lento. Aos poucos a atividade irá tornando-se mais complexa, sendo introduzidas algumas variações, como: ao sinal do professor os alunos deverão dar um pulo, a outro sinal, mudar de direção, erguer as mãos quando o professor erguer uma mão ou então parar quando o professor apitar, etc.
As variações serão feitas de acordo com o desempenho e necessidade da(s) criança(s).

Atividade de ordenação temporal
Esta atividade será voltada a forma social de organização do tempo:
  • Antes- depois
  • Dia-noite
  • Hoje, amanhã, ontem
  • Dias da semana
Pode ser feita de maneira simples e será dividida em etapas.
  • Antes e depois - será solicitado à criança que levante da cadeira, vá até a lousa e depois até a porta.
    Em seguida será perguntado: o que você fez antes de ir à lousa? O que você fez depois de ir à lousa? O que estava fazendo antes de ir à lousa?
    Em seguida serão entregues figuras onde possam ser identificadas situações de antes e depois (jogo de sequência lógica), ou seja, a figura de alguém colocando ingredientes em uma bacia, mexendo a massa e tirando o bolo do forno. Então será perguntado: o que a pessoa do desenho fez antes de mexer a massa? O que fez depois de mexer a massa? O que fez antes de pegar o bolo do forno?
  • Dia e noite – utilizaremos a experiência da criança; ela deverá descrever como é o dia e como é à noite; o que vemos de dia, o que vemos de noite; o que fazemos de dia o que fazemos de noite.
  • Hoje, amanhã e ontem – Será também trabalhado com as experiências da criança; o que você comeu no café da manhã ontem? O que comeu hoje? O que você quer comer amanhã? Descreva a roupa que está usando hoje e a que gostaria de usar amanhã.
  • Dias da semana – Os dias da semana podem ser trabalhados diferenciando os dias que vão à escola e os que não vão, o dia que tem aula de Inglês, Educação Física e outros.
    Após, pode-se explicar o conceito do mês, ou seja, quatro semanas corresponde a um mês e após o conceito de ano.
    *É importante lembrar que o trabalho com dias, mês e ano, não podem ser feitos em uma sessão.
Jogo de sequência lógica
Atividade de organização e estruturação temporal

Esta atividade trabalha com noções importantes para o aprendizado da escrita e particularmente da leitura, além de favorecer o desenvolvimento da memória.
A estruturação temporal fornecerá as possibilidades de alfabetização.
A criança reproduzirá ritmos com as mãos.
O professor executa um determinado ritmo, seguindo algumas estruturas rítmicas, por exemplo, batendo a mão sobre a carteira, durante certo tempo, a criança apenas escuta, depois reproduz o ritmo executado pelo professor, batendo a mão sobre a carteira também. É importante variar o ritmo em lento, normal e rápido.
OBS: Fazer o exercício inicialmente com os olhos abertos e em seguida, de olhos fechados.

Transtornos psicomotores que podem ser observados em sala de aula:

Torpor motriz – imperfeição dos movimentos relacionados ao dia-a-dia. Caracterizam-se por gestos grosseiros, travados, movimentos involuntários ou impossibilidade de relaxar e deixar os músculos em repouso.

Dispraxia- desorganização do movimento e falta de adaptação dos gestos para a finalidade proposta, ou seja, a incapacidade de executar determinadas sequências gestuais ou a execução com extrema lentidão (vestir-se, abotoar a roupa, amarrar o cadarço dos sapatos, utilizar talher e outros).

Transtornos de lateralização - compromete a construção do corpo e o esquema da imagem corporal. Nestes casos a criança apresenta dificuldades na velocidade e eficácia dos movimentos.
-Criança ambidestra
-Canhoto contrariado
-Lateralidade cruzada

Disgrafia- escrita defeituosa que pode ser: problemas na forma e proporção das letras e problemas na organização espacial da letra. Será discutido mais a frente em transtornos da lectoescrita.
Instabilidade psicomotora – excessiva necessidade de movimentação, inquietação e instabilidade do corpo (síndrome hipercinética).

Inibição psicomotora – falta ou inibição de movimento; movimentos comprometidos e limitados.

Livro:Dificuldades de aprendizagem,detecção e estratégias de ajuda.
Autoras:Ana Maria Salgado (Psicóloga)
Nora Espinosa Terán (Psicóloga)

8 comentários:

  1. Helena Rodrigues.Educadora infantil e futura pedagoga!2 de novembro de 2011 18:47

    Amei,que material!Ainda terei uns assim se Deus quiser!

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde!
    Adorei o site, fiquei muito melhor informada sobre o probleminha da minha filha. Ela possui o TRANSTORNO PSICOMOTOR e DISLALIA. Com o seu blog consegui compreender melhor o problema.
    Obrigada.
    Um abraço
    Fernanda Nunes

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo blog, foi uma indicação no facebook e adorei.Vou ler todas as suas postagens com muita atenção.Sou estudante de psicopedagogia e todos os temas de suas postagens são muito interessante.Convido você a conhecer nosso blog no link:http://www.psicopedagogiac2012.blogspot.com.br/ e a participar do maior grupo de psicopedagogia do facebook , venha trazer seus conhecimentos e experiências e compartilhar conosco.
    http://www.facebook.com/groups/261860490570115/
    Atenciosamente, Jossandra Barbosa.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia tenho um filho, que utiliza oculos, ele é destro, mas para espreitar por exemplo num binoculo ele espreita com o olho esquerdo pois diz que não ve bem o o olho direito. Ele sabe diferenciar direita /esquerda, mas tem dificuldade em definir direita/esquerda em frente ao espelho. Tambem tem algumas dificuldades em posicionar o papel a sua frente para desenhar. Tem dito algumas dificuldades na escola por causa disso, estou muito preocupada. Pelo que le acima ele não tem lateralidade cruzada, uma vez que tem problemas visuas e utiliza oculos. O que me aconselha?? agradeço a informação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, neste caso seria bem interessante que seu filho fosse avaliado e atendido por um Psicomotricista, que fará um trabalho focado nessas questões, auxiliando também no processo escolar. Você pode contatar a Associação Brasileira de Psicomotricidade, pois lá tem a indicação de bons profissionais. Caso seja necessário o encaminhado para outros profissionais ele também poderá fazer e orientá-la. Quanto antes melhor!!!
      Beijos

      Excluir
    2. Obrigada pela resposta,

      Beijinhossssssssssss

      Excluir
  5. Olá! Muito bom o texto. eu gostaria de tirar uma dúvida. Eu escrevo com a mão esquerda porém tenho a perna direita como dominante. Além disso, determinadas atividades (de menor frequência) eu faço com a mão direita. Eu posso ser classificado como possuidor de lateralidade cruzada, mesmo não tendo nenhuma de suas consequências, a não ser a assimetria lateral corporal?
    Obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir
  6. Olá Caio, não é tão simples assim, uma vez que seria preciso saber o tipo de atividade que realiza com a perna direita e com qual frequência, até porque você também realiza pequenas atividades com a mão direita também.

    ResponderExcluir